Skip links

A importância do cliente no centro das estratégias do agronegócio

Quem ouve o bordão “Agro é pop”, não imagina as dificuldades que o setor do agronegócio enfrenta para manter a boa reputação.

Ao contrário do que muitos pensam, o agronegócio tem um compromisso ético com o futuro do nosso país e enfrenta desafios, que inclui por exemplo, a segurança alimentar da população. 

Através de eventos como o One Agro (Campinas – 7 e 8 de junho de 2022) realizado pela Syngenta, são discutidos assuntos sobre sustentabilidade, desafios logísticos e tecnológicos no agronegócio brasileiro, financiamento do setor privado, seguros, recursos externos, dentre outros.

E quem lida com os segmentos do agronegócio já enfrenta uma série de desafios para manter as vendas sem prejuízos.

Problemas sazonais que influenciam as safras e o entendimento errôneo por parte da população sobre as novas formulações de produtos, já exigem uma atenção especial.

Mas ao longo dos anos, as empresas perceberam que havia algo mais na lista de atenção: focar em customer centric.

Entenda o que é o cliente no centro

Ter o cliente no centro das estratégias do agronegócio está para além de um discurso raso para afirmar que “o cliente tem sempre razão”. 

Todos nós já sabemos que nem sempre o cliente tem razão, mas que ele precisa sim, de toda a atenção.

Não basta vender, é preciso promover engajamento do cliente com a marca e fidelizá-lo.

Uma pesquisa afirma que 86% dos compradores estão dispostos a pagar mais por uma ótima experiência do cliente.

E como conseguir isso diante de tantas vantagens oferecidas pela concorrência?

6 dicas para engajar e fidelizar clientes B2B no agronegócio

  1. Mantenha sua própria equipe engajada com sua missão, propósito e valores

Umas das mais importantes estratégias de negócios são, investir em employer branding e marketing de incentivo. Basta pensar que quem vai lidar com os clientes na linha de frente precisa acreditar nos valores da empresa e no que ela vende.

O engajamento começa de dentro para fora e precisa estar pautado em transparência e credibilidade.

Diferente disso, a empresa pode até vender bem, mas poderá ter dificuldade para engajar e fidelizar clientes.

  1. Explique o conceito da sua marca para o seu cliente

Você e sua equipe conseguem explicar objetivamente o conceito da sua marca para o seu cliente? 

Não é simplesmente o que sua empresa vende, mas tudo o que envolve o cliente com a marca: desde a identificação do cliente com os valores da sua empresa até o que ele ganha com isso. 

Muitas vezes, é durante uma simples explicação que a venda acontece.

  1. Conheça bem o seu cliente e entenda o que realmente ele precisa

Na ânsia de bater metas, sua equipe precisa ser treinada para aprender a ouvir o que de fato o cliente está precisando. Não adianta “empurrar” um produto ou um serviço que não trará lucro para o seu cliente. 

Durante um atendimento bem feito, uma venda não realizada pode fidelizar o cliente que terá a certeza de que quando ele efetivamente realizar uma compra, terá todo o suporte necessário.

  1. Adquira e ofereça soluções personalizadas para engajar e fidelizar clientes

Se sua empresa precisa de clientes mais engajados e fidelizados, invista em soluções tecnológicas personalizadas. 

Com o advento dos programas de fidelidade, algumas empresas já se especializaram em soluções que engajam e fidelizam clientes através de tecnologia e dados.

Através de uma plataforma que gerencia toda a operação, é possível otimizar o tempo e a qualidade do trabalho, com estratégia de incentivos e criação de programas de fidelidade com personalização das marcas.

A estratégia de incentivo é fundamental para engajamento e melhoria na cultura operacional entre os stakeholders da marca. 

A criação de programas de fidelidade para os consumidores é um diferencial que atrai marcas que buscam se destacar, já que oferecem recompensas por suas compras e incentivam clientes a permanecerem fiéis à marca.

  1. Otimize a jornada do cliente

Uma forma de engajar o cliente é proporcionar uma boa experiência de compra. Desde o primeiro contato até a compra efetivamente realizada, o cliente espera ter uma boa experiência com a sua empresa. 

No entanto, se você deseja manter esse cliente fidelizado, saiba que a jornada do cliente não termina na venda. Para que ele permaneça fiel à sua empresa, ele precisa sentir-se pertencido à marca.

Seja através de chatbots, telefone, presencialmente ou omnichannel, o cliente precisa conhecer todos os canais disponíveis para sentir-se à vontade e escolher o que melhor lhe atende. A tendência é gerar mais autonomia e assim otimizar a jornada do cliente.

  1. Aprimore constantemente a cultura Customer Centric

Customer Centric ou Customer Centricity é nada mais nada menos, que ter o cliente no centro das estratégias da empresa, oferecendo a melhor experiência na jornada do cliente.

Se sua empresa já realiza um bom atendimento na jornada do cliente, já está no caminho certo, mas é preciso lembrar que o cliente no centro das estratégias é o caminho para um melhor engajamento e fidelização com a marca.

Para isso, invista em recursos com IA (inteligência artificial), big data e análise de dados para estudar os hábitos de consumo de seus clientes, bem como suas preferências, necessidades e desejos.

O cliente no centro: vantagens na adoção de uma cultura customer centric

A adoção de uma cultura customer centric no mercado do agronegócio pode trazer uma série de vantagens, incluindo:

  • Maior fidelidade do cliente: ao colocar o cliente no centro das decisões do negócio, é mais provável que a empresa crie um relacionamento duradouro com seus clientes. Isso pode levar a uma maior fidelidade do cliente e a um maior número de compras repetidas ao longo do tempo.
  • Maior satisfação do cliente: ao entender e atender às necessidades dos clientes, a empresa pode melhorar a experiência do cliente e aumentar a satisfação do cliente. Isso pode levar a avaliações positivas, feedbacks favoráveis e à recomendação da empresa a outras pessoas.
  • Maior rentabilidade: ao adotar uma cultura customer centric, a empresa pode encontrar maneiras de reduzir custos, aumentar a eficiência operacional e desenvolver novos produtos e serviços que atendam às necessidades dos clientes. Isso pode levar a uma maior rentabilidade a longo prazo.
  • Melhor reputação: empresas que adotam uma cultura customer centric geralmente têm uma reputação positiva no mercado e são vistas como confiáveis e transparentes pelos clientes e parceiros de negócios.
  • Maior inovação: ao trabalhar em estreita colaboração com os clientes e entender suas necessidades, a empresa pode encontrar maneiras de inovar e desenvolver novos produtos e serviços que atendam às necessidades do mercado.

Conclusão

A adoção de uma cultura customer centric pode ajudar a empresa a melhorar a satisfação do cliente, a rentabilidade e a reputação no mercado do agronegócio, além de promover a inovação, o engajamento e a fidelidade do cliente.

Nós somos a Vertem, líderes no mercado de loyalty B2B e pioneiros no desenvolvimento dos ecossistemas de negócios no Brasil.

Acesse o nosso site e conheça mais sobre nós!

Deixe um comentário